MANDALS: APOSTA ESTRANGEIRA

12 agosto 2014

Foto: Tumblr
Direto do armário masculino para o feminino, a sandália foi uma das apostas do verão Europeu. A expectativa, dessa vez, foi um tanto exagerada, pois as "mandals", como são chamadas, não movimentaram o mercado e muito menos estiveram nos pés das inspiradoras fashionistas.

O "novo" sapato, visualmente, ainda aparenta ser feito para homens e o comportamento "relaxado" das mandals, talvez, tenha sido um grande problema para o público feminino, que não soube como usá-las. Apesar dos pontos negativos, as sandálias são confortáveis e, diferente de várias sapatilhas e saltos, fazem bem para o próprio formato do pé. "Liberdade" e "saudável" poderiam definir o calçado. 

Foto: Blog RosariaGrace
Na tentativa de adaptar as mandals ao dia a dia das mulheres, algumas marcas usaram estampas como o animal print, couro em diversas cores, fivelas de diferentes materiais e até a base da sandália variou com borrachas e tecidos. Lojas como Senso e Steve Madden lançaram  coleções específicas para as mandals, respectivamente, a primeira é uma grife australiana que acabou sendo a preferência de quem decidiu adquirir a sandália, a segunda é uma sub loja de departamento americana, muito mais em conta, mas com modelos limitados. Mesmo assim, o sapato não foi o "must have" da temporada e, provavelmente, não voltará tão cedo para as passarelas. O Brasil, porém, tem grande chance de aceitar o produto, principalmente, pela praticidade e pelo preço, que tende a seguir o mesmo dos modelos masculinos (o valor, na Europa, foi um grande empecilho, a faixa de preço era de aproximadamente €300). 

Combinar roupa com a tal sandália é complicado -não dá para tentar enganar, as opções são poucas e é exatamente aquele sapato que fica bom em um número limitado de pessoas. A "moda praia" pode até ser uma saída para as mandals; há uns cinco anos, por exemplo, sapatos semelhantes foram realmente usados no verão brasileiro. Além disso, é uma possibilidade de disfarce para quem tem pés grandes, pois a largura e o volume trazem a sensação de que os pés perdem comprimento e deixam de ser excessivamente magros. 

Foto: Blog Rosaria Grace
Incluir essas sandálias no armário feminino é uma atitude que lembra bastante ao que Coco Chanel fez com as calças masculinas, em 1920. Na época, a estilista teve muita dificuldade para romper um tabu que formava um ideal de comportamento, tanto que a calça para mulheres passou a ser usada com mais frequência só nos anos 70. O conforto, novamente, é o motivo da "troca", pois se o espartilho fazia mal para a coluna, a calça estava lá; agora, se o salto e a sapatilha podem comprometer toda a estrutura óssea, então, as mandals podem servir de grande ajuda, uma hora ou outra o público feminino precisará usar e seria melhor ainda se o sapato virasse wave ("tendência" ou "na moda", como queiram).

Se vender bastante no Brasil, possivelmente terá atualizações que deixarão a tal sandália como marco de uma época.

PS: esse texto foi escrito por mim, Uliane Tatit, para a coluna "Catwalk", publicada no jornal da faculdade, o LONA. Clique aqui para acompanhar, toda terça-feira tem novo texto sobre moda! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário