O homem que aparenta conseguir nocautear um boi

19 agosto 2014

Foto: Bianca Ogliari
Senhoras e senhores, bem-vindos ao cenário pós-apocalíptico. Bombas e radiação são apenas detalhes do futuro indeterminado que o mundo de dentro dessa lona nos apresenta. Cidades sem país, sem região e sem rota. Lugares que podem não existir mais quando houver retorno. O uso de flashbacks é a artimanha para se explicar os personagens.

Parece fantasia, sonho. Mas é assim o universo quando estamos em becos sem saída. 

Algumas coisas na nossa vida vieram do circo, ou nossa vida pode ser um espetáculo. Algumas coisas somadas a outras se resultam em outras, e assim tornando nossas vidas em uma sequência. E o terror, esse é mais presente em nossas vidas do que a felicidade.  Em muitos casos, quando somos “acrobatas”, temos duas saídas: o alto ou o chão. Os homens não são como as máquinas. Um ser repleto de emoção não se deixa levar pela razão, e como já julga a filosofia: a paixão é o problema do homem. Aplaude-se a vida, como se ela dependesse disso, sem saber por quê.
Se você sempre quis ver o ser humano em uma lente de aumento, você está no lugar certo, quando ele está sem saída. O pânico e a angústia são maiores do que a normalidade.

Você enxerga o desenrolar da história, você entende o desespero dessa sociedade pós-humanos, que preenche as partes dos corpos com ferramentas, transformando o ser mortal em imortal. Recuperando corpos mutilados pela guerra - guerra são todos os dias que somos obrigados a lutar contra e favor das nossas vontades.  Quem nunca viveu uma Guerra, não deve saber o que é viver em “reta-guarda”. Mas viver em “reta-guarda” é algo que fazemos muito, e se não fazemos, deveríamos fazer. 

Uma cidade que é reconstruída em cima de destroços tem que se manter a base de destroços e a sobrevivência é a destruição sem esperança. Mas qualquer um com coragem e meios, pode atravessar de oceano a oceano. E conclusões assim, são encontradas a cada desvendar desse mundo circense.
Cada artista do Circo tem um figurino e é assim que se substitui a alma que foi roubada pela guerra. O medo é substituído por saber. Até por que, ganhar asas ali, leva tempo. Ganhar asas aqui, na realidade, também leva tempo. A cada cicatriz tem uma história. 

Então, respeitável publico, se você está disposto a mudar a sua forma de olhar as pessoas e as coisas que lhe cercam, seja bem-vindo. Se você acredita em choque de realidade, seja bem-vindo. Ninguém no circo é de verdade hoje em dia, e a verdade hoje em dia, na realidade, muitas vezes é comprada.  E nós, nós somos o circo que sobrevive sobre alma e ossos. 

Para ser humano completo você precisar viver em vagões, o solo deve ser sua base principal de autossuficiência. E o Circo tem a função de esconder as marcas não desejadas do passado. A maioria das pessoas não vive o suficiente para ver o circo duas vezes, estes são tempos exaustivos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário