ASSISTA: A ESPERANÇA – PARTE 1

05 dezembro 2014


Foto: Blackfilm
Jogos Vorazes é uma saga que vem se aperfeiçoando e alcançando níveis fantásticos, equilibrando drama e ação em uma nação futurística. No terceiro filme da saga, A Esperança, as cores são substituídas por tons sombrios e melancólicos. A trama se desenrola obscura, e toma forma através de momentos que provam o contrário do tema, ao proclamar uma desesperança durante sua narrativa. Além do confronto político, é explícito alguns momentos específicos que representam a humanidade a partir de uma série de metáforas reflexivas. 

Apesar de ser considerado uma franquia teen por muitos, Jogos Vorazes está bem longe disso e o terceiro filme é a prova. O diretor Francis Lawrence usa determinados elementos que fogem deste mesmo rótulo, por exemplo, a presença de atores premiados como Julianne Moore e Philip Seymour Hoffman. Jennifer Lawrence, por sua vez, tem uma interpretação brilhante de Katniss Everdeen, a qual ela transmite todos os sentimentos da personagem, através de uma bomba de emoções de angústia, raiva e medo, sem que necessariamente faça o uso de palavras implícitas. A direção conduz o longa por meio de um tema maduro, e completamente diferente dos filmes "blockbusters" dos últimos anos, em que o longa demonstra parte de uma realidade política e diplomática em uma sociedade autoritária.

Na trama, tudo é mais lento e discutido comparado aos dois filmes anteriores, há mais diálogos. Apesar de ser um filme monótono, A Esperança contém uma discussão política que envolve o verdadeiro contexto da história. A revolta contra o sistema resulta no real significado da trilogia de livros e propõe uma saga que foge dos padrões atuais. A mídia é representada como um viral de campanha e publicidade. Isso acaba tornando a trama bem atual no sentido crítico à manipulação da mídia. O roteiro é um pouco carente, mas é a direção de Francis Lawrence que muda essa realidade. A Esperança, talvez, não seja o melhor filme da saga, mas é definitivamente uma evolução para o próximo longa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário