No ensino médio

05 dezembro 2014


Ano que vem estarei indo morar sozinho, em Curitiba. Este post relata um pouco mais sobre como é estar vivenciando essa experiência.

No ensino médio, mais especificamente no 3º ano, sempre temos uma história para contarmos seja do tormento que é conciliar a responsabilidade de passar na escola, a pressão de ser aprovado no vestibular, a vida pessoal e até amorosa.

Ou frio na barriga e a ansiedade de morar em uma cidade desconhecida, sozinho. Procurei algumas coisas, não digo imóveis ou objetos para a casa, mas um jeito de sair da zona de conforto, estou preparando meu psicológico. A experiência é parte do processo de amadurecimento, e é isso que estou procurando. 

É meio amedrontador, mas quero entrar de cabeça. Sem medo de testar coisas novas, conhecer pessoas, sei que novas experiências estão por vir. Minha primeira impressão é que sair de casa é como fazer uma trilha na floresta. Vou me aventurar em um lugar diferente, sem saber como ascender uma fogueira ou montar uma barraca.

Sobre as crises de solidão e saudade, sei que serão passageiras. E não estou me concentrando em sair de casa, isso seria como dirigir olhando apenas no retrovisor; nos concentramos tanto no que estamos deixando para trás que não percebemos o que está à nossa frente.

Estava lendo algo esses dias sobre como a gente muda quando envelhece. Não na aparência, isso é normal e acontece com todo mundo (menos com a Avril Lavigne) e é inevitável. Era sobre como as coisas que nos fazem feliz mudam de acordo com o tempo. Talvez isso seja a essência do amadurecer. 

Este grande passo significa a conquista da liberdade e a afirmação de que estou preparado para encarar o mundo de frente. Permita-se mudar e seja feliz. Mas tenha o pé no chão e assuma as responsabilidades. Às vezes parece chato, mas se programar, fazer contas e colocar tudo na ponta do lápis é fundamental. 

Na verdade, é saber que todos nós somos capazes de fazer qualquer coisa, ainda mais tomar passos importantes como escolher a carreira, dizer o que pensa, criar um blog ou morar sozinho. Estou procurando manter a cabeça fria e os pés no chão, mas acima de tudo, manter a coragem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário