As botas de vitrine

05 março 2015

Foto: Doc Martens
Você deve ter percebido que algumas lojas de sapatos estão com suas pré-coleções de inverno nas vitrines. Dois modelos têm mais destaque entre os demais: a bota montaria lisa, cujo cano pode ir do joelho até a coxa, e a estilo motoqueiro, nesta o cano é um pouco acima do tornozelo, podendo ter ou não a opção de salto. 

As temperaturas brasileiras, apesar de serem baixas durante o inverno, não necessitam de tanta sobriedade e seriedade na estação. É claro, as duas botas são coringas e é bom ter uma no armário, mas não é para colecionar. Acredito que essa influência, europeia e americana, seja preguiça na criação de modelos realmente brasileiros. 

Foto: InStyle
O preço é um outro problema, essas botas chegaram com um valor abusivo no mercado (entre R$160-R$500). "Ah, mas o Brasil está em crise, tudo está caro", não, meu amor, não é assim que funciona. No ano passado, descobri inúmeras "lojinhas" que vendem esses mesmos modelos por um terço do preço. Sabe aquelas lugares onde, geralmente, quem trabalha no campo gosta de comprar calçados resistentes? Pois é, é aí que você deveria ir. E dê ênfase quando falo sobre resistência, esses produtos sempre estiveram e foram vendidos ali. Pode confiar.

Se você tiver um par de montaria ou motoqueiro, invista em algo diferente, não precisa ser exagerado, mas que mostre criação, não apenas produção massiva de fastfashion e etc. Gosto muito da bota country, acho, inclusive, que elas têm um pouco do "sangue brasileiro". São diversas cores, texturas e materiais. Infelizmente, o modelo não combina comigo, mas a tentativa da prova é um bom começo para quem deseja evoluir com o próprio estilo. 

Foto: Ariat
As botas estilo Ugg são as que mais me incomodam. O nosso país não é tão frio para usá-las (ok, o Sul até é), mas quando é que você poderá usar o sapato novamente? Só no outro inverno? E a cri$e que você acabou de falar? Eu tenho um modelo parecido. Mas ela é mais fresca e leve que a Ugg. Uso, geralmente, um ou dois meses. Detalhe: moro em Curitiba, ou seja, ainda não parece viável ter o par em meu armário.

Os coturnos são ótimas escolhas e são a cara da brasileira. Os modelos em couro e os forrados são os mais indicados para as nossas temperaturas. Aliás, o solado emborrachado facilita, principalmente, nos dias de chuva. Dá para usar entre outono, inverno e primavera sem problemas. Lembrando que a intenção do coturno não é criação e diversidade de modelos, mas praticidade e conforto, ou seja, você não precisará surtar com preços, pois todo ano será a mesma coisa. Além disso, eles vestem bem com, praticamente, tudo. 

O inverno, assim como todas as estações, está cheio de armadilhas que não são moda. A cada temporada, a caça ao lucro aumenta e você, que lembra da tal crise e quer inovar, precisa ter consciência do que está comprando. Às vezes, é melhor esperar pela liquidação. Às vezes, é melhor dar uma olhada na loja da esquina e para de perambular apenas pelo shopping. Às vezes, é melhor você usar o que está no seu armário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário